Junta de Freguesia Foz do Douro, Porto


Location: Rua Côrte Real 25, 4150-070 Porto, Portugal

Area: 200.0 m2

Project Year: 2019

Team: Maria Souto de Moura e Luísa Souto de Moura

Technical Projects: AB Engenharia, GET, AFA Consult, Alfa Engenharia and ADD Building

 


1-entrada / entrace                                   
2-sala atendimento / reception
3-gabinete /cabinet
4-sanitário / toilet
5-copa /kitchen
6-área técnica / tecnical area
7-serviços coveiro / gravedigger's services
8-sanitário público /public toilet 
9-arrecadação cemitério /cemetery's storage


10-átrio de entrada /hall
11-sala reuniões / meeting room
12-sanitário / toilet
13-arquivo / archive
14-arrecadação / storage

 

 

Reabilitação Junta de Freguesia Foz do Douro, Porto

O projecto trata-se da reabilitação da Junta de Freguesia da Foz do Douro e dos espaços de apoio ao cemitério. O edifÍcio dispõe apenas de duas fachadas, uma principal ornamentada voltada para a rua e uma fachada longitudinal orientada para o cemitério.

O edifício sofreu várias ampliações ao longo dos tempos. O avançado estado de degradação obrigou à reconstrução de todo o interior, incluindo cobertura e reforço estrutural pontual. Removeram-se todos os elementos dispensáveis, fecharam-se alguns vãos e abriram-se novos de acordo com a nova organização interior. 

O edifício desenvolve-se em dois pisos independentes. O piso térreo é composto pela sala de atendimento, gabinetes, sanitário e copa e foi rebaixado 40 cm de modo a conseguir um pé direito minimo legal. O acesso é feito através de um guarda-vento envidraçado e uma rampa que liga directamente ao espaço de atendimento. A partir do cemitério acede-se ao espaço do coveiro e a um sanitário público.

O piso 1 é acessível através da escadaria de pedra da fachada principal. A partir de um átrio acede-se ao salão, marcado pelas duas janelas da fachada principal e do lado oposto, a um pequeno hall de acesso a um sanitário e a uma sala onde será o arquivo. Todos foram organizados de modo a terem luz natural excepto os sanitários, arrecadação e áreas técnicas.

A escolha dos materiais respeita a natureza do edificio, com pavimento em marmorite no piso 0 e madeira natural no piso 1 e todas as carpintarias pintadas. O projecto segue uma linguagem contemporânea capaz de dialogar com a prexistência. 


The project was conceived with the exclusive intention of receiving a polyptych. A piece composed by a set of mobile and fixed panels, built on a single support.

Traditionally associated with sacred art, the art piece does not represent religious themes, but is instead of an erotic nature. It is in this ambiguity between the sacredand the profane that this project emerges. The polyptych, a 5 by 3.5 metressymmetrical composition, imposes a distant but direct first contact.

 The entrance was thought of as an additional feature to avoid an immediate confrontation with the contemplation space. A bifurcated path leads andpositions the observer in front of the painting, only from within the space. A characteristic associated with the Islamic architecture, in way the arrival toa place of worship is prepared. 

The entrance is narrow and enclosed by diagonal planes, in contrast to the contemplation space. The lack of light dissolves the perception of the spatial boundaries, thereby becoming an undefined and infinite scene. The existing light is cut-out by the painting, standing out as a singular element floating in the dark backdrop of the walls and ceiling. The sound of footsteps on the wooden floor is part of the theatricality of the assembly, referring to the ambience of a religious space. 

From the outside, one clearly perceives the composition of the two volumes. The entrance of a bloodstained colour penetrates the contemplation space, whereas the cork skin reinforces the anthropomorphic texture of the piece.


Using Format